Número total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Desencanto doméstico ou como lavar o poema


o poema é um bloco uniforme de letras atirado contra a folha. o poema é um tijolo, forte, denso, onde o espaço em branco não tem lugar, nem a pausa, nem a respiração. viva o poema com uma única camada! é como um placard sem costas, não permite profundidade visual. há ainda no poema uma coisa interessante: a progressão do sujeito poético que se vê errante e a entrar na zona do desconhecido. a errância é fundamental para criarmos caminhos ou limparmos a casa. do poema.

o poema é um super-homem.