Número total de visualizações de página

quinta-feira, 5 de julho de 2012


Franz estancou a olhar para a prostituta Hela, estranha e esguia, que lhe tocava ao de leve o enchumaço. Franz sentia-se ameaçado. O seu pai voltou a falar alto:
  "Se precisares de ajuda, entro convosco e mostro-te como é que se faz. Conheço bem os cantos da casa da Hela."
Hela, agarrou então Franz pela mão, e encaminhou-o para o quarto. "Não tenhas medo. Vais gozar, vais ver." - murmurou-lhe antes de fechar a porta.
Franz completava treze anos nesse dia, e Hela, mal ou bem, e por breves instantes, tinha-o feito gozar. Hela cheirava a fêmea, o que quer que seja que isto signifique. 
Franz saiu do quarto, com uma satisfação recente, mas foi novamente confrontado com o sarcasmo do pai:
"És mais rápido do que um tornado. Pena é que tenhas sido tu a ficar desfeito." 
    in Disparar Sobre os Humanos.